sexta-feira, 15 de junho de 2007

Sobre autopromoção

Se tem uma coisa que eu acho profundamente decadente é essas pessoas que se autopromovem descaradamente como se vê várias por aí fazendo. Acredito e confio muito mais em quem recebe atenção pela competência comprovada do que por "venda de imagem". Muito pior se isso é feito por um profissional de Relações Públicas!

Isso é o oposto do que as verdadeiras Relações Públicas são e ensinam! A imagem tem que estar respaldada na reputação da pessoa/organização, e não o contrário! Seria até engraçado, se não fosse trágico, ver aquelas divulgações, feitas pelos próprios participantes, de eventos que acontecem aqui e acolá em que essa pessoas aparecem em fotografias com diretor-fulano, presidente-beltrano ou doutor-sicrano, legendadas pelos próprios interessados.

O pior é que, como aparecem na mídia ou elas mesmas enviam os e-mail e informativos, essa é a imagem que fica dos relações públicas para o mercado. Não é à toa que surgem pontos de vista como aquele apresentado no Brasil inteiro sobre as "pombas" por aí!

Como se vai mudar a visão das organizações e do mercado sobre nós se é isso o que se vê?

5 comentários:

  1. Oi Ana,

    o duro é recebermos essas divulgações , normalmente com erros de português ainda.
    Eu sempre digo, profissional que precisa de "holofote' tem problemas, pois nossa profissão é estritamente de bastidores.
    Bem colocado seu post.
    Um abraço

    Marcia Ceschini

    ResponderExcluir
  2. Concordo, Ana. Uma verdadeira lástima. Até acho que não precisamos ser tão "bastidores", sob o risco de não sermos reconhecidos pelos resultados do que empreendemos, mas daí utilizar campanhas, projetos e ações tidas como "coletivas" para evidente aproveitamento próprio, é de uma falta de senso que nem consigo descrever.

    Mas, ao menos, a maioria dá-se conta disto, e vê sempre com cautela estes comunicados e badalações "nacionais".

    ResponderExcluir
  3. Pedro Souza Pinto22 de junho de 2007 12:35

    Ana, acho que você já diz tudo quando fala "Acredito e confio muito mais em quem recebe atenção pela competência comprovada do que por "venda de imagem"".

    É comum vermos, não só nas RP, pessoas que trabalham só a imagem e a divulgação de algo que fazem, e aos poucos vão deixando de lado coisas essenciais do trabalho proposto. Fotos, nomes, apertos de mão, marcar presença, divulgar, acabam sendo um tiro no pé e perdem força.

    Mas por sorte temos bons profissionais que fazem o trabalho de formiguinha com consciência e foco numa prática que naturalmente traz visibilidade por um resultado que é bem legitimado.

    ResponderExcluir
  4. Nossa!!!

    É emocionante ver como os RP são autruístas!!!!

    Tudo pelo coletivo!!!

    Abaixo o individualismo!!!!

    Abaixo os holofotes!!!!!

    A emoção é tanta que sinto vontade de chorar!!!!

    Haja hipocrisia!!!!

    ResponderExcluir
  5. Oi, anonimo!

    Alguns esclarecimentos, para constar!
    1) O correto é "aLtruismo" e não "aUtruismo" como escreveste, possivelmente por um engano de digitação
    2) Nao, o trabalho do RP nao e contra o individualismo, pelo contrario. Deixa eu te explicar (parece que não es estudante ou profissional de RP). O RP justamente segmenta os publicos e procura conhecer, entender e interpretar as necessidades, aspiracoes e expectativas de cada um deles, buscando estabelecer um relacionamento com base nas caracteristicas especificas de cada publico, e muitas vezes de cada individuo. Assim como nao podes tratar todas as pessoas da mesma maneira (teu irmao de 5 anos e tua avo de 80), tambem porcuramos adequar as formas de tratamento e relacionamento para cada publico.
    3) Entretanto, o resultado desse relacionamento particularizado, personalizado, customizado ou como preferires chamar, é exatamente a harmonia das relacoes coletivas, ou seja, entre a organizacao e todos os seus publicos estrategicos, beneficiando a todos: fortalecimento da reputacao e dos negocios da empresa, satisfacao do consumidor, fornecedor, funcionario, acionista, etc.
    4) Os "holofotes' sao fundamentais quando ha necessidade de divulgar-se informacoes importantes a um grande numero de pessoas com amplo alcance por meio do maior numero possivel de midias. Entretanto, o profissional que planeja, organiza e executa as acoes de RP quase sempre faz um trabalho de bastidores, raramente aparece na midia ou nos "holofotes", a menos que as pessoas que ele preparou para serem porta-vozes e a "personificacao" da organizacao (diretores, presidentes, outras personalidade da organizacao) nao estejam disponiveis para faze-lo, ou mesmo quando a empresa ainda nao tem ninguem capacitado para tanto.
    5) Seriam as tuas um classico exemplo das famosas "lagrimas de crocodilo"? Interessante alguem que se coloca como "anonimo" num comentario aberto falar de hipocrisia.

    ResponderExcluir

Por favor, identifique-se. Comentários anônimos poderão ser excluídos. Mantenha a educação e o respeito ao deixar sua mensagem.